Newsletters




RSS 2.0 ACG

NOTÍCIAS DOS SÓCIOS

Relatório e contas 2015

Decorreu no passado dia 13 de maio 2016 a apresentação aos sócios do relatório e contas de 2015.

Na apresentação destes resultados, Miguel Alves, Presidente da Associação, destacou os dados mais relevantes do ano anterior, enquadrando-os na estratégia desenvolvida durante o seu mandato. Destacou os seguintes pontos:

Continuar...

PESQUISA

Autenticação

Visualizações de conteúdos : 399060

GUIA DO INVESTIDOR

Disponível aqui

guia_foto

ACG no youtube

youtube

ACG nas redes sociais

fb

xl7.png
2014

untitled-5

2014

dezembro

//CLIPPING DEZEMBRO

Jornal: beira.pt / online (fonte lusa)

Data: 12-12-2014

Assunto: Câmara extingue Agência para a Promoção da Guarda por razões estratégicas e financeiras

Secção:  Economia

Observações: http://beira.pt/portal/noticias/camara-extingue-agencia-para-promocao-da-guarda-por-razoes-estrategicas-e-financeiras/

 

A Câmara Municipal da Guarda decidiu, por maioria, extinguir a Agência para a Promoção da Guarda (APGUR), por razões estratégicas e financeiras, anunciou o presidente da autarquia.

A deliberação, que contou com o voto contra do vereador do PS, José Igreja, foi aprovada pela maioria PSD/CDS-PP do executivo municipal liderado por Álvaro Amaro, na reunião quinzenal, realizada na freguesia de Porto da Carne.

No final dos trabalhos, o autarca explicou aos jornalistas que a proposta de extinguir a APGUR resultou de uma “avaliação intensa” que já transmitiu à Associação Comercial local, entidade parceira no projeto.

A APGUR foi criada em 10 de janeiro de 2007 para dinamizar a revitalização do centro histórico da cidade mais alta do país aos níveis cultural, social, económico e turístico.

Com a extinção daquela entidade, a promoção da Guarda “será feita pelo município, mas nunca em exclusividade”, adiantou Álvaro Amaro.

“Todas as competências que estavam delegadas na associação serão, naturalmente, trazidas para o município e serão depois desenvolvidas pelo município isoladamente ou em associação com outras entidades”, explicou.

O autarca lembrou ainda que nos últimos seis anos o município “transferiu cerca de 500 mil euros” para a APGUR.

“Se associamos a isso as receitas que o município perdeu pelas competências que lhe legou, que se cifram em cerca de 60 mil euros por ano, estamos a falar de quase um milhão de euros”, apontou.

A APGUR tem um gestor, que tem uma ocupação profissional, e uma funcionária que foi convidada a trabalhar para a câmara.

O único vereador do PS que participou na reunião camarária votou contra a proposta por considerar que a APGUR tem feito “um trabalho excelente e que é reconhecido por toda a gente que contacta com a atividade que tem desempenhado, na área do turismo, na área da promoção, na área do livro, na área de mostrar a Guarda de outro modo”.

“Na área turística, o trabalho desenvolvido foi meritório, pelo que não foi para nós completamente esclarecido qual a razão que levaria à extinção”, disse aos jornalistas.

Na mesma reunião, foi também aprovada, por maioria, com a abstenção do eleito do PS, a proposta de extinção das duas empresas municipais no âmbito da lei sobre o setor empresarial local.

A autarquia decidiu integrar, pelo período de um ano, os 63 trabalhadores das empresas municipais Guarda Cidade Desporto e Culturguarda.

O socialista José Igreja absteve-se na votação por desconhecer “qual será o futuro dos trabalhadores”.

Jornal: Porto Canal  / Online (fonte-agência Lusa)

Data: 16-12-2014

Assunto: Projecto de realidade aumentada dinamiza comércio do centro da cidade da Guarda

Secção: País

Observações: http://portocanal.sapo.pt/noticia/46568/

Projecto de realidade aumentada dinamiza comércio do centro da cidade da Guarda

Guarda, 16 dez (Lusa) - Uma agência de comunicação da Guarda inicia, na quarta-feira, um projeto de dinamização do comércio do centro histórico daquela cidade com recurso à tecnologia da realidade aumentada, acessível por telefones inteligentes ou outros dispositivos móveis com ligação à internet.

Segundo os promotores, a iniciativa começa com cerca de 15 estabelecimentos comerciais que aderiram ao projeto que tem o apoio da Associação do Comércio e Serviços do Distrito da Guarda (ACG).

A campanha denominada "Explore este Natal com Realidade Aumentada" vai abranger lojas do largo da Misericórdia, da rua do Comércio e da Praça Velha, disse hoje à agência Lusa Adalberto Pinto de Almeida, da direção de comunicação da Agência de Comunicação Puro & Associados.

O responsável explicou que as montras das lojas aderentes ao projeto tecnológico estão dotadas com um dístico, escrito em português e em inglês, que está dotado de realidade aumentada, uma tecnologia que consiste em dar dinamismo a conteúdos informativos e comerciais.

"O dístico é icónico e funciona como uma segunda porta dos estabelecimentos, mas de acesso a uma realidade que aumenta quando se aponta o 'smartphone'" ou outros dispositivos móveis com ligação à internet, indicou.

Adalberto Pinto de Almeida explicou que os utilizadores após descarregarem a aplicação específica para o seu equipamento vão poder explorar conteúdos interativos.

"Nesta fase de arranque, os conteúdos poderão ser alusivos ao Natal e aos produtos do Natal, mas, depois, os comerciantes vão mudar esses conteúdos", disse.

Acrescentou que os utilizadores podem ter acesso a "conteúdos dinâmicos, sejam vídeos, 'spots' publicitários, música, galerias de fotos ou outros".

"A experiência de navegação dos conteúdos é única e permite uma interatividade estimulante e inovadora", refere o responsável.

A Puro & Associados adianta que, dado o caráter inovador e tecnológico da iniciativa, a ACG apoia a campanha com diversas ações de divulgação, nomeadamente a colocação de sinalética de rua, informando o público para o facto de se encontrar numa zona comercial dotada de realidade aumentada.

O objetivo da ação é contribuir para a dinamização do comércio tradicional numa época do ano em que o centro da cidade mais alta do país é estimulado com a iniciativa "Guarda: A Cidade Natal", desenvolvida pela câmara até ao dia 06 de janeiro.

"Surge precisamente para aproveitar a presença de gente não só da cidade como de visitantes e porque há a garantia de haver gente a experimentar esta novidade", justificou Adalberto Pinto de Almeida.

Futuramente, os mentores do projeto tencionam estender o conceito de realidade aumentada aos espaços públicos da Guarda, "mostrando a quem visita a cidade os conteúdos mais valiosos, inovadores e apelativos de ruas, praças, sítios e património".

Jornal: Correio da Guarda  / Online (fonte-agência Lusa)

Data: 16-12-2014

Assunto: Passagem de Ano Académica na Guarda

Observações: http://correiodaguarda.blogs.sapo.pt/passagem-de-ano-academica-na-guarda-461862

Na Guarda vai realizar-se, na próxima quinta-feira, 18 de Dezembro, a Passagem de Ano Académica, cuja primeira edição teve lugar em 2012.

O evento pretende reunir estudantes portugueses e espanhóis e decorrerá, a partir das 17 horas, no Largo General João de Almeida (junto à Igreja da Misericórdia).

A semelhança dos anos anteriores, esta é uma iniciativa do Instituto Politécnico da Guarda e Associação Académica da Guarda, em colaboração com a Câmara da Guarda, o NERGA, a Associação Comercial, PSP, Bombeiros e com o apoio do comércio e restauração local.

Para os responsáveis pelo evento, a Passagem de Ano Académica “é um acontecimento deslocalizado no tempo que permitirá que os estudantes possam ter o seu réveillon em conjunto”.

Esta atividade, com entrada livre, é aberta à população em geral.

//CLIPPING NOVEMBRO

Jornal: Vida Económica

Data: 11-11-2014

Assunto: ACG desenvolve atividades de Natal na Guarda

Secção:  Economia

Observações: http://beira.pt/portal/noticias/acg-desenvolve-atividades-de-natal-na-guarda/

A ACG – Associação de Comércio e Serviços do Distrito da Guarda preparou, para este natal, um conjunto de atividades que têm como principal objetivo a animação das zonas mais emblemáticas da cidade da Guarda.

A ACG pretende dar um verdadeiro ambiente Natalício nas zonas comerciais mais importantes da cidade apresentando um conjunto de atividades diversificado, mas com o objetivo de melhorar a atratividade comercial nas zonas abrangidas.
Desta forma, a ACG pretende desenvolver o comércio solidário, tendo esta ação como base, a recolha de bens de primeira necessidade. Para além desta iniciativa, será promovida a pintura das montras dos comerciantes com temas alusivos ao Natal. Outra atividade inovadora, consiste na criação de um conjunto de atrativos designados “presente cliente”, e que tem como intenção premiar a preferência dos clientes pelo comércio de proximidade: cocktail de boas vindas, promoções de Natal ou o horário alargado.
Todas estas atividades são ainda complementadas com um conjunto de ações de formação desenvolvidas exclusivamente para os comerciantes, na área do vitrinismo. Estas ações visam sensibilizar os lojistas para a importância da decoração das suas montras e para a captação de mais clientes.

Jornal: Porto Canal / Online – Fonte Agência Lusa

Data: 11-11-2014

Assunto: Associação Comercial da Guarda promove animação de Natal em todo o distrito

Secção:  País

Observações: http://portocanal.sapo.pt/noticia/43003/

Guarda, 11 nov (Lusa) - A Associação do Comércio e Serviços do Distrito da Guarda (ACG) anunciou hoje que vai realizar atividades de animação de Natal em todos os concelhos do distrito com o objetivo de dinamizar o setor nesta quadra festiva.

A ACG refere, em nota enviada hoje à agência Lusa, que o programa de animação irá decorrer entre o dia 17 e 09 de janeiro de 2015 nas sedes dos 14 concelhos do distrito da Guarda.

Em anos anteriores, a associação realizou iniciativas na cidade da Guarda, mas, este ano, a direção, presidida por Miguel Alves, decidiu envolver todo o distrito para animar a época natalícia e promover a dinamização dos centros urbanos.

Aumentar o número de visitantes e as vendas e sensibilizá-los para que realizem compras no comércio local são outros dos propósitos da iniciativa.

"A ACG tem, ao longo dos últimos anos, procurado contribuir, quer para a criação de um verdadeiro ambiente natalício nas zonas comerciais mais importantes da cidade, quer criando condições para que os negócios dos nossos associados e restantes comerciantes possam beneficiar deste ambiente e captar mais clientes", é lembrado.

Aquela entidade anuncia que este ano vai assegurar "um conjunto base de iniciativas e propõe aos municípios e comerciantes o seu envolvimento para ampliar o efeito destas, complementando-as com outras".

A ACG adianta que elaborou um calendário de atividades diversificado "com o objetivo comum de melhorar a atratividade comercial nas zonas abrangidas".

Durante a quadra festiva, aquela entidade irá colocar animação sonora, em parceria com os municípios, proporcionando nas artérias de maior atividade comercial de cada concelho a instalação de som ambiente, votos de boas festas e mensagens institucionais.

Também irá promover uma ação designada por "comércio solidário", que envolverá os comerciantes na recolha de bens de primeira necessidade para instituições particulares de solidariedade social da região.

A pintura de montras com motivos alusivos ao Natal é outra das propostas da ACG para a época festiva.

A associação também vai criar o "presente cliente" que consiste "na criação de um conjunto de atrativos" com a intenção de "premiar a preferência dos clientes pelo comércio de proximidade".

As atividades são ainda complementadas com um conjunto de ações de formação desenvolvidas exclusivamente para os comerciantes, na área do vitrinismo, visando sensibilizar os lojistas para a importância da decoração das suas montras, adianta a fonte.

"Estamos convictos que, com o desenvolvimento destas atividades, a ACG contribui de forma decisiva para a dinamização da atividade comercial no comércio de proximidade e para a afirmação de todo o distrito como ponto de paragem obrigatória nas compras natalícias", conclui a ACG.

//CLIPPING OUTUBRO

 

Jornal: Terras da Beira

Data: Outubro 2014

Assunto: ACG

Apesar de a chuva ter teimado em aparecer, o The Long Weekend foi um verdadeiro sucesso e trouxe animação e muita vida, como há muito não se via no centro da Guarda. A iniciativa da Associação Comercial atraiu alguns milhares de pessoas e provou que vale a pena apostar em projetos inovadores e diferentes. O resultado foi tão satisfatório que a ACG já prevê que no próximo ano o The Long Weekend possa vir a prolongar-se por mais dias e a abranger uma maior área no centro da cidade, mas em julho quando o São Pedro costuma ser menos rigoroso com o clima da cidade mais alta.

//CLIPPING SETEMBRO

Jornal: A Guarda

Data: 25-09-2014

Assunto: Associação Comercial promove formação para comerciantes do Mercado Municipal

Secção: Atualidade

Observações: http://www.jornalaguarda.com/index.php/regiao/guarda/1318-associacao-comercial-promove-formacao-para-comerciantes-do-mercado-municipal

A Associação Comercial da Guarda (ACG) vai promover duas acções de formação específicas para os comerciantes, na área do vitrinismo. Estas acções, que arrancam já no início de Novembro, visam capacitar todos os que estão presentes no Mercado Municipal, para a importância de questões como a exposição dos produtos, a decoração das bancas, a captação da atenção dos consumidores, entre outros.
A ACG quer, em conjunto com os demais interessados, nomeadamente os comerciantes e a Autarquia, desenvolver um projecto forte, dinâmico, e com atractividade. Para um futuro próximo estão desafios a ser lançados a todos, como o reforço da comunicação do Mercado Municipal, a constituição do Condomínio do Mercado, entre outras iniciativas. 
Em comunicado a ACG refere que “tem vindo a defender que o Mercado Municipal é um instrumento fundamental na afirmação dos produtos locais da cidade e da região, fundamentalmente no que aos produtos frescos diz respeito.

Jornal: Online /beira.pt

Data: 02-09-2014

Assunto: ACG promove “The Long Weekend Guarda 2014″

Secção: Sociedade

Observações:

http://beira.pt/portal/noticias/acg-promove-the-long-weekend-guarda-2014/

 

O evento vai decorrer no centro urbano da cidade da Guarda nos dias 19, 20 e 21 de setembro e pretende atrair, na expectativa da organização, milhares de visitantes à cidade mais alta.

A Associação de Comércio e Serviços do Distrito da Guarda (ACG), em conjunto com alguns parceiros estratégicos, tomou a iniciativa de organizar um evento, que pretende afirmar-se como uma atividade carismática na animação da cidade, passando a realizar-se com periodicidade anual, numa lógica de sustentabilidade e crescimento progressivo. A organização promete “animação durante três dias, promovendo o envolvimento dos comerciantes e muitas surpresas”. O programa do evento será apresentado na próxima segunda-feira, dia 8, pelas 11h30, na sede da ACG.

Jornal: O Interior

Data: 04-09-2014

Assunto: ACG lança “Uma Nova Forma de Viver a Cidade”

Secção: Em Foco – pg. 4/5


Associação Comercial da Guarda lança «uma nova de viver a forma cidade»

“The Long Weekend Guarda 2014” promete dinamizar centro histórico da capital de distrito entre os dias 19 e 21 deste mês

«Este evento está projetado para dinamizar o centro urbano e as principais artérias do comércio na cidade da Guarda». É deste modo que o presidente da Associação do Comércio e Serviços do Distrito da Guarda (ACG) descreve o “The Long Weekend Guarda 2014” que aquela entidade vai promover entre os dias 19 e 21 deste mês na zona histórica da cidade. Trata-se de um grande evento de animação que pretende também “mexer” com a economia local.

Miguel Alves salienta que o lema da atividade é «uma nova forma de viver a cidade» de um modo «lúdico, comercial e aproveitando um bom clima». O dirigente frisa que os objetivos principais do evento passam por «dinamizar a economia local e proporcionar uma oferta lúdica e distintiva do que tem sido o programa normal do distrito». O presidente da ACG destaca o «conciliar da gastronomia, da cultura, dos espetáculos e da moda de uma forma contínua» ao longo dos três dias. Esta atividade surge na sequência de «durante os últimos anos», a ACG ter eleito como uma das suas «prioridades fundamentais a dinamização comercial dos centros urbanos da sua área de intervenção e, consequentemente, a sua economia local». O dirigente sustenta que a Guarda, em concreto, «enquanto capital de distrito e maior cidade da região, tem obrigatoriamente que oferecer a todos os que a visitam, um leque de atividades, que posicionem como referência no panorama cultural e comercial da região». Neste sentido, «e com a ausência de um evento no Centro Urbano, a ACG, em conjunto com alguns parceiros estratégicos, tomou a iniciativa de organizar um evento que pretende que possa afirmar-se como uma atividade carismática na animação da cidade, passando a realizar-se com periodicidade anual, numa lógica de sustentabilidade e crescimento progressivo».

O evento decorrerá numa lógica de “multi-actividades”, «dirigidas fundamentalmente ao público mais jovem mas não só, e atrairá, na expectativa da ACG, milhares de visitantes» à cidade.

Deste modo, não faltará animação constante durante três dias neste “Fim de Semana Longo” que a ACG proporcionará aos guardenses e a quem visite a cidade nestes dias. O Bairro de São Vicente será transformado num “Bairro Alto” e haverá 800 metros de passadeira azul que as pessoas poderão percorrer para encontrar os diferentes pontos do evento. No Paço da Cultura, haverá mostras de produtos regionais frescos. Vai haver showcookings, havendo a possibilidade de o conhecido cozinheiro argentino

Chakall poder marcar presença. A Rua do Comércio, que Miguel Alves considera «a mais carismática do distrito», terá uma passadeira com 40 metros, onde será instalada uma passerelle onde no sábado à noite os empresários locais poderão mostrar as suas novas coleções.

Na Praça Velha será instalada um “mega lounge”, uma tenda com 200 metros quadrados que abrangerá diversas atividades, sendo que o comércio «vai ser desafiado para estar aberto até à meia-noite». A ideia é o evento terminar pelas 20 horas de domingo com um DJ de «renome nacional». O orçamento previsto para a atividade é de 40 mil euros.

Jornal: O Interior

Data: 25-09-2014

Assunto: “The Long Weekend Guarda” já começou

Secção: Atualidade

Observações: http://www.ointerior.pt/noticia.asp?idEdicao=777&id=45122&idSeccao=10829&Action=noticia

Adiado por uma semana devido ao mau tempo, o “The Long Weekend Guarda ‘14” já começou.

Trata-se de um evento que a Associação do Comércio e Serviços do Distrito da Guarda (ACG) vai promover na zona histórica da capital de distrito no eixo entre o Jardim José de Lemos, as Ruas Alves Roçadas, Marquês de Pombal, do Comércio e a Praça Velha. Até domingo, o comércio estará de portas abertas até à meia-noite, convidando quem passear pelas ruas a conhecer os seus produtos com promoções especiais para o efeito.

Com esta iniciativa, a ACG espera aumentar o número de visitantes, residentes ou não, e consequente crescimento da dinâmica comercial. A organização conta com o apoio de diversas entidades que fazem com que este evento seja «um dos mais ambiciosos da região».

O “The Long Weekend Guarda ‘14” vai realizar-se ao longo de sete espaços diferentes identificados como “Descobrir”, “Saborear”, “Mudar”, “Sentir”, “Encontrar”, “Viver” e “Explorar”. São áreas dispersas pelas artérias onde decorre o evento e que estarão repletas de animação e que prometem transportar os visitantes por uma nova forma de urbanidade.

Na Rua Alves Roçadas, por exemplo, os visitantes irão encontrar um espaço que os transportará para o mundo dos sabores. Nos Claustros do Paço da Cultura irá decorrer um mercado de produtos regionais que acolherá uma série de showcookings pelas mãos de chefs de renome nacional e internacional, nomeadamente o conhecido cozinheiro argentino Chakall, que irão dar a conhecer diferentes e inovadoras formas de confecionar produtos tradicionais.

Já a Rua do Comércio será palco no sábado de um desfile, apresentado por Isabel Figueiras, para dar a conhecer as novidades que enchem as montras do comércio do centro da cidade. A Praça Velha é outro dos locais em destaque e onde estará instalado um Mega Lounge que irá albergar uma série de bares e Dj’s. Para encerrar o evento irá decorrer nesta Praça um sunset onde irá atuar a conhecida DJ Vera Lapa.

Jornal: O Interior / online

Data: 25-09-2014

Assunto: The Long Weekend Guarda ‘ 14″ decorre até domingo

Secção: Ambiente

Observações:

http://beira.pt/portal/noticias/long-weekend-guarda-14-arranca-hoje/

A Associação de Comércio e Serviços do Distrito da Guarda (ACG) promove, este fim de semana, um inédito projeto intitulado “The Long Weekend Guarda ’14”, «um evento que promete ser diferenciador, promovendo o convívio entre a população da Guarda e os seus diferentes agentes comerciais».

A iniciativa irá decorrer por várias artérias da cidade da Guarda, ou seja, no eixo entre o Jardim José de Lemos, Rua Alves Roçadas, Rua Marquês de Pombal, Rua do Comércio e a Praça Velha. Durante estes dias o comércio estará de portas abertas até mais tarde convidando, quem passear pelas ruas, a conhecer os seus produtos com promoções especiais para este efeito.

(http://www.tlw.pt/)

Rádio Altitude

Data: 10-09-2014

Assunto: The Long Weekend Guarda: Um centro histórico pintado de azul

Secção: Atualidade

Observações:

A primeira característica que saltará à vista, de 19 a 21 de Setembro, será a tonalidade azul que dominará as ruas do centro histórico da Guarda, desde o Museu até à Praça Luís de Camões. Neste perímetro haverá aquilo que a Associação Comercial anunicia como «um evento diferenciador» e «uma nova forma de viver a cidade».

Música, animação, moda, arte, gastronomia, e venda de produtos reginais fazem parte do programa do The Long Weekend Guarda'14, que terá início ao final da tarde de sexta-feira, dia 19, e decorrerá quase em contínuo até à noite de domingo, dia 21.

Aumentar o número de visitantes e potenciar a dinâmica comercial da Guarda são alguns dos objectivos propostos.

Jornal: beira.pt / online (fonte – rádio Altitude)

Data: 30-09-2014

Assunto: Próximo The Long Weekend será por mais tempo, em mais ruas e em julho

Observações: http://beira.pt/portal/noticias/proximo-long-weekend-sera-por-mais-tempo-em-mais-ruas-e-em-julho/

A próximo edição do The Long Weekend deverá ser The Long Week.

A Associação Comercial da Guarda pretende alargar o período de duração do evento do passado fim de semana. Mas também o espaço: a animação será alargada a mais ruas. E em vez de setembro deverá realizar-se em julho. São as ideias que resultam do balanço positivo que a organização faz da primeira edição. Entretanto, a associação diz estar já a planear um grande evento para este Natal.

 

Outras notícias TLW 2014

Site Junta de freguesia //online

Assunto: The Long Weekend - Uma nova forma de viver a cidade

Observações: http://www.freguesiadaguarda.pt/fgDetalheNoticia?idnews=a0N20000008mEcUEAU

A ACG, em parceria com diversas entidades, vai animar as ruas do Centro Histórico da cidade: da Praça Velha ao Jardim José de Lemos, passando pelas ruas Alves Roçadas, Marquês de Pombal e do Comércio. São muitas as iniciativas: a Praça Velha será transformada num mega lounge; haverá stands de artesanato na Rua Alves Roçadas; um desfile de moda na Rua do Comércio; para além de concertos, mercado, DJ, exposição de fotos, cocktail show, mostra de vinhos, bares de rua, etc. 

A animação vai ter novas datas: 26, 27 e 28 de Setembro... Prepare-se para o fim-de-semana mais longo e energético do ano!

Veja aqui o mapa com a previsão dos locais onde vão decorrer as atividades.

SITE NETCENTRO – Online

Data: 08-09-2014

Assunto: Associação Comercial da Guarda lança «uma nova forma de viver a cidade»

Secção: O Interior

Observações:

http://www.netcentro.pt/Conteudos/Artigos/detalhe.aspx?idc=1268&idl=1&idi=27611

«Este evento está projetado para dinamizar o centro urbano e as principais artérias do comércio na cidade da Guarda». É deste modo que o presidente da Associação do Comércio e Serviços do Distrito da Guarda (ACG) descreve o “The Long Weekend Guarda 2014” que aquela entidade vai promover entre os dias 19 e 21 deste mês na zona histórica da cidade. Trata-se de um grande evento de animação que pretende também “mexer” com a economia local.

Miguel Alves salienta que o lema da atividade é «uma nova forma de viver a cidade» de um modo «lúdico, comercial e aproveitando um bom clima». O dirigente frisa que os objetivos principais do evento passam por «dinamizar a economia local e proporcionar uma oferta lúdica e distintiva do que tem sido o programa normal do distrito».

O presidente da ACG destaca o «conciliar da gastronomia, da cultura, dos espetáculos e da moda de uma forma contínua» ao longo dos três dias. Esta atividade surge na sequência de «durante os últimos anos», a ACG ter eleito como uma das suas «prioridades fundamentais a dinamização comercial dos centros urbanos da sua área de intervenção e, consequentemente, a sua economia local». O dirigente sustenta que a Guarda, em concreto, «enquanto capital de distrito e maior cidade da região, tem obrigatoriamente que oferecer a todos os que a visitam, um leque de atividades, que posicionem como referência no panorama cultural e comercial da região».

Neste sentido, «e com a ausência de um evento no Centro Urbano, a ACG, em conjunto com alguns parceiros estratégicos, tomou a iniciativa de organizar um evento que pretende que possa afirmar-se como uma atividade carismática na animação da cidade, passando a realizar-se com periodicidade anual, numa lógica de sustentabilidade e crescimento progressivo».

O evento decorrerá numa lógica de “multi-actividades”, «dirigidas fundamentalmente ao público mais jovem mas não só, e atrairá, na expectativa da ACG, milhares de visitantes» à cidade. Deste modo, não faltará animação constante durante três dias neste “Fim de Semana Longo” que a ACG proporcionará aos guardenses e a quem visite a cidade nestes dias. O Bairro de São Vicente será transformado num “Bairro Alto” e haverá 800 metros de passadeira azul que as pessoas poderão percorrer para encontrar os diferentes pontos do evento. No Paço da Cultura, haverá mostras de produtos regionais frescos. Vai haver showcookings, havendo a possibilidade de o conhecido cozinheiro argentino Chakall poder marcar presença. A Rua do Comércio, que Miguel Alves considera «a mais carismática do distrito», terá uma passadeira com 40 metros, onde será instalada uma passerelle onde no sábado à noite os empresários locais poderão mostrar as suas novas coleções. Na Praça Velha será instalada um “mega lounge”, uma tenda com 200 metros quadrados que abrangerá diversas atividades, sendo que o comércio «vai ser desafiado para estar aberto até à meia-noite».

A ideia é o evento terminar pelas 20 horas de domingo com um DJ de «renome nacional». O orçamento previsto para a atividade é de 40 mil euros.

//CLIPPING AGOSTO

Jornal: Online /beira.pt

Data: 21-08-2014

Assunto: ACG quer montras vivas na zona histórica + Drag Race

Secção: Sociedade

Observações: http://www.ointerior.pt/noticia.asp?idEdicao=772&id=44782&idSeccao=10728&Action=noticia

A Associação Comercial da Guarda (ACG) e a autarquia propõem aos comerciantes da cidade a realização de seis teatros em seis montras, no âmbito da iniciativa “Montras Vivas”.

Trata-se de implementar o conceito de montra animada, que consiste na realização de uma mini peça de teatro na própria montra, com o objetivo de dinamizar as ruas da zona comercial da Guarda, bem como as próprias lojas aderentes. Os interessados tiveram que justificaram o motivo pelo qual gostariam de participar através, sendo que a seleção dos estabelecimentos será feita pela proposta mais criativa e por ordem de chegada. Estava previsto que as peças tivessem início ontem, já depois do fecho desta edição. Entretanto, a ACG associa-se ao Iº Drag Race (provas de aceleração 0 – 400 metros), que vai decorrer na Guarda na tarde de domingo, das 13 às 19 horas. A competição tem lugar no troço da VICEG entre a Rotunda dos Bombeiros e a Rotunda do G. Segundo a Comercial, a iniciativa partiu de dois amantes da modalidade, residentes na cidade. Décio Ferreira e Cédric Albuquerque esperam que «o evento traga dinâmica à Guarda, bem como a participação dos apreciadores desta modalidade». Os interessados em participar na prova podem inscrever-se mediante o pagamento de 5 euros.

 

Jornal: Online /beira.pt

Data: 19-08-2014

Assunto: ACG associa-se ao 1º Evento “Drag Race” na Cidade da Guarda

Secção: Sociedade

Observações:

http://beira.pt/portal/noticias/acg-associa-se-ao-1o-evento-drag-race-na-cidade-da-guarda/

A cidade da Guarda vai receber o 1º Drag Race (Provas de aceleração 0 – 400metros), no dia 24 de agosto entre as 13 horas e as 19horas – troço da VICEG entre a Rotunda dos Bombeiros e a Rotunda do G.

A iniciativa partiu de dois amantes da modalidade, residentes na Guarda, e que nunca tinham visto uma prova destas na  cidade. Décio Ferreira e Cédric Albuquerque esperam que o evento traga dinâmica à Guarda bem como a participação de vários amantes da modalidade.

A organização disponibiliza várias zonas para assistir às provas, com serviço de comida e bebida, no local.

Para a participação na competição o custo é de 5 euros. A ACG recebeu o desafio de se associar a esta atividade, que tem ainda o apoio do Intermarché e +Racing, com entusiasmo, na expetativa de que eventos diferenciadores e que atraiam visitantes à cidade e à região, são uma mais-valia que merece ser apoiada.

Jornal: Online /beira.pt

Data: 14-08-2014

Assunto: ACG desafia comerciantes da Guarda

Secção: Sociedade

Observações:

http://beira.pt/portal/noticias/acg-desafia-comerciantes-da-guarda/

A Associação do Comércio e Serviços do Distrito da Guarda (ACG) e a Câmara Municipal Guarda, propõem aos comerciantes Guardenses a realização de 6 teatros, em 6 montras, com 6 associados para a realização de Montras Vivas.

Com o intuito de dinamizar as ruas da cidade, a Associação do Comércio e Serviços do Distrito da Guarda e a Câmara Municipal Guarda, propõem a intervenção animada nas montras da cidade, implementando o conceito de Montra Animada – que consiste na realização de uma mini Peça de Teatro (2 horas) dentro da própria montra – com o propósito de criar afluência não só nas ruas como também nas próprias lojas. Cada interessado deverá enviar o motivo pelo qual gostaria de ver esta atividade ser realizada na sua montra, através do email ( Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar ) ou mensagem privada via facebook (www.facebook.com/acsdg).

//CLIPPING JULHO

Jornal: Online /beira.pt

Data: 09-07-2014

Assunto: Associação Comercial faz estudo de mercado sobre hábitos de consumo na Guarda

Secção: Sociedade

Observações: http://beira.pt/portal/2014/07/09/associacao-comercial-faz-estudo-de-mercado-sobre-habitos-de-consumo-na-guarda/

A Associação do Comércio e Serviços do Distrito da Guarda (ACG) anunciou hoje que está a realizar um estudo de mercado de âmbito distrital sobre os hábitos de consumo da população.

O presidente da ACG, Miguel Alves, disse à agência Lusa que o estudo, desenvolvido em parceria com o Instituto Politécnico da Guarda, ficará concluído no final do mês, altura em que serão anunciadas as principais conclusões.

Segundo o responsável, o inquérito que abrange os 14 concelhos do distrito da Guarda “pretende caracterizar quais os hábitos dos consumidores da região, nomeadamente no que concerne à frequência das compras, tipo de comércio preferencial, locais de compra e comércio eletrónico”, entre outros parâmetros.

Miguel Alves indicou que o estudo “tem uma amostra de, no mínimo, mil inquéritos” e, como abrange a cidade da Guarda e os restantes 13 concelhos do distrito, “vai ser possível verificar se os hábitos de consumo são distintos de concelho para concelho e na capital de distrito”.

O responsável lembra que a ACG tem realizado, nos últimos anos, vários estudos através do seu Observatório do Comércio, sobre temas como taxas de IVA em Portugal e Espanha, vandalismo no centro histórico e estacionamento.

Com o estudo em curso sobre os hábitos de consumo da população, a associação pretende “constituir uma ferramenta de trabalho sólida e abrangente, para que os diversos agentes económicos e políticos do distrito possam tomar decisões fundamentadas no desenvolvimento dos seus modelos de negócio ou das suas políticas”, justificou.

Miguel Alves referiu que a ACG parte para a realização do inquérito com hipóteses relacionadas com a preferência dos consumidores pelas grandes superfícies comerciais e por “comprarem fora da área de residência, quando se deslocam em viagens de lazer”.

O inquérito, de participação livre, está a ser realizado no terreno, por uma equipa de quatro pessoas, e também via internet (no endereçohttp://habitosdeconsumoguarda.limequery.com).

Jornal: Online / Porto Canal

Data: 09-07-2014

Assunto: Associação Comercial faz estudo de mercado sobre hábitos de consumo na Guarda

Secção: País

Observações: http://portocanal.sapo.pt/noticia/31337/

(fonte: Agência Lusa)


Guarda, 09 jul (Lusa) - A Associação do Comércio e Serviços do Distrito da Guarda (ACG) anunciou hoje que está a realizar um estudo de mercado de âmbito distrital sobre os hábitos de consumo da população.

O presidente da ACG, Miguel Alves, disse à agência Lusa que o estudo, desenvolvido em parceria com o Instituto Politécnico da Guarda, ficará concluído no final do mês, altura em que serão anunciadas as principais conclusões.

Segundo o responsável, o inquérito que abrange os 14 concelhos do distrito da Guarda "pretende caracterizar quais os hábitos dos consumidores da região, nomeadamente no que concerne à frequência das compras, tipo de comércio preferencial, locais de compra e comércio eletrónico", entre outros parâmetros.

Miguel Alves indicou que o estudo "tem uma amostra de, no mínimo, mil inquéritos" e, como abrange a cidade da Guarda e os restantes 13 concelhos do distrito, "vai ser possível verificar se os hábitos de consumo são distintos de concelho para concelho e na capital de distrito".

O responsável lembra que a ACG tem realizado, nos últimos anos, vários estudos através do seu Observatório do Comércio, sobre temas como taxas de IVA em Portugal e Espanha, vandalismo no centro histórico e estacionamento.

Com o estudo em curso sobre os hábitos de consumo da população, a associação pretende "constituir uma ferramenta de trabalho sólida e abrangente, para que os diversos agentes económicos e políticos do distrito possam tomar decisões fundamentadas no desenvolvimento dos seus modelos de negócio ou das suas políticas", justificou.

Miguel Alves referiu que a ACG parte para a realização do inquérito com hipóteses relacionadas com a preferência dos consumidores pelas grandes superfícies comerciais e por "comprarem fora da área de residência, quando se deslocam em viagens de lazer".

O inquérito, de participação livre, está a ser realizado no terreno, por uma equipa de quatro pessoas, e também via internet (no endereço http://habitosdeconsumoguarda.limequery.com).

Rádio Altitude

Data: 11-07-2014

Assunto: Associação Comercial faz estudo de mercado sobre hábitos de consumo na Guarda

Observações: http://www.altitude.fm/index.php/actualidade/315-associacao-comercial-estuda-habitos-de-consumo-na-guarda

O estudo está a decorrer durante o mês de Julho e pretende conhecer os interesses dos consumidores da Guarda. A ideia é dar pistas aos associados e preparar melhor o plano de candidaturas a apoios do próximo quadro financeiro comunitário.

//CLIPPING JUNHO

Jornal: online /beira.pt (Fonte Lusa)

Data: 04-06-2014

Assunto: Comemorações 10 de Junho

Secção: Notícias, Sociedade

Observações: http://beira.pt/portal/noticias/associacao-comercial-da-guarda-pede-a-comerciantes-que-enfeitem-lojas/

A direção da Associação do Comércio e Serviços do Distrito da Guarda (ACG) apelou hoje aos comerciantes para decorarem os seus estabelecimentos com elementos alusivos ao 10 de Junho, colaborando com a oferta da bandeira nacional.

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, designou este ano a cidade da Guarda para sede das comemorações oficiais do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, que vão decorrer na segunda e na terça-feira. A direção da ACG presidida por Miguel Alves justifica, em comunicado enviado hoje à agência Lusa, que “não poderia deixar passar a realização deste importante evento sem a ele se associar, contribuindo para a divulgação da imagem da cidade da Guarda pelos quatro cantos do país e pelas comunidades portuguesas”. A associação está a lançar o desafio aos seus associados para, durante o período das comemorações, decorarem os seus estabelecimentos comerciais “com elementos alusivos” à efeméride. “Como forma de dar o exemplo, disponibilizará gratuitamente a todos os que a solicitarem, uma bandeira nacional, para a decoração das suas montras ou espaços comerciais”, refere a nota da ACG. Segundo a associação de comerciantes, as bandeiras poderão ser levantadas na sua sede, a partir de quinta-feira. A direção da ACG reconhece que as comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas são “um evento de reconhecida importância para a afirmação do país, das suas comunidades, da língua portuguesa e de toda uma nação e do seu povo”. “A Guarda, pela expressão da nacionalidade e da identidade nacional, pelo património, pela visão altaneira do país e pela ligação privilegiada à Europa é o lugar certo para a reflexão e interpretação do nosso destino coletivo”, sustenta. Na terça-feira, o presidente da Câmara da Guarda também apelou aos habitantes que coloquem a bandeira nacional em janelas, varandas e fachadas, por ocasião das comemorações oficiais do 10 de Junho. O autarca Álvaro Amaro pede aos cidadãos que transmitam “a partir da cidade mais alta uma energia positiva a todo o país” por ocasião das comemorações de mais um Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

//CLIPPING MAIO

Jornal: Online / beira.pt

Data: 08-05-2014

Assunto: ACG promove Debate Público sobre lei do tabaco

Secção: Sociedade

Observações:

http://guarda.pt/portal/2014/05/06/acg-promove-debate-sobre-lei-do-tabaco/

A iniciativa irá decorrer na próxima quinta-feira, dia 8, pelas 21h30, no Café Concerto do Teatro Municipal da Guarda.

O debate sobre o tema “Lei do Tabaco – Consequências e Benefícios” surge pela mão da  Associação do Comércio e Serviços do Distrito da Guarda (ACG) e conta com o apoio da Rádio Altitude, cujo representante moderará a discussão. A entrada é livre.

//CLIPPING ABRIL

Jornal: O Interior

Data: 03-04-2014

Assunto: ACG lança “Comércio Investe” no centro urbano da Guarda

Secção: Sociedade

Observações: http://www.ointerior.pt/noticia.asp?idEdicao=752&id=43280&idSeccao=10358&Action=noticia

Objetivo deste programa é dinamizar o setor através da aposta nas vendas online, da fidelização de clientes e da renovação dos estabelecimentos 

ACG lança “Comércio Investe” no centro urbano da Guarda

Miguel Alves, com Rogério Hilário (à esquerda na foto), refere que a venda online pode «aumentar o volume de negócios na ordem 30 a 40 por cento»

A Associação do Comércio e Serviços (ACG) do Distrito da Guarda vai implementar o “Comércio Investe”, um projeto de dinamização comercial do centro urbano da Guarda que se destina a potenciar as vendas através da Internet.

Com um investimento global de 371 mil euros, a iniciativa arranca no primeiro semestre deste ano com 20 estabelecimentos e vai durar 18 meses. «Pressupõe a implementação de uma estratégia comum no comércio eletrónico com o desenvolvimento de uma plataforma onde cada empresa terá um micro site para venda online, mas também uma estratégia comum de divulgação (Internet e brochuras), a renovação do ponto de venda (fachadas e exteriores) e a implementação de um sistema informático comum de fidelização de clientes», adiantou o presidente da AGC. De acordo com Miguel Alves, a Comercial foi a associação da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela com candidatura aprovada para esta ação pelo Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação (IAPMEI). O responsável recordou que, atualmente, a venda online pode contribuir para «aumentar o volume de negócios na ordem 30 a 40 por cento, pelo que esta é uma oportunidade a aproveitar. O importante é que os empresários vejam que a adesão a este projeto significa valor acrescentado».

O “Comércio Investe” é um projeto de investimento coordenado pela ACG, que também vai gerir o portal online. Já os comerciantes aderentes vão ter incentivos financeiros, mas terão que comparticipar «um valor que ainda está a ser estudado», referiu o dirigente. Entretanto, a ACG encerrou na passada sexta-feira o projeto “QI PME”, um programa de formação-ação desenvolvido junto de 24 empresas da indústria transformadora em 2013.

«O objetivo é otimizar e diversificar os recursos destas empresas. Para isso, a ACG ajudou a fazer o diagnóstico das necessidades e das lacunas dessas empresas, a elaboração o plano de ação tendo como vertentes o marketing, o design, a gestão dos recursos humanos e a economia», afirmou Miguel Alves, que espera encontrar nos próximos fundos comunitários «novos instrumentos de apoio e desenvolvimento para replicá-los nas empresas da região».

Poucos dias depois do Governo ter anunciado a intenção de liberalizar a atividade comercial e os saldos, proposta que está em fase de consulta pelos parceiros do setor, o presidente da direção da Comercial da Guarda considerou que «a liberalização total dos horários não me parece benéfica, pois as Câmaras têm vindo a ajustar a oferta à procura consoante a sua realidade. Já a nível dos saldos pode ser uma boa estratégia porque permite escoar mais facilmente produtos em stock». Contudo, o dirigente remete para mais tarde uma posição oficial sobre o documento elaborado no Ministério da Economia.

Jornal: O Interior

Data: 03-04-2014

Assunto: Os novos fundos comunitários que tardam em chegar

Secção: Jornal das Empresas

Observações: http://www.ointerior.pt/noticia.asp?idEdicao=752&id=43337&idSeccao=10373&Action=noticia

O período de impasse que se vive atualmente com o final do QREN - Quadro de Referência Estratégica Nacional e a abertura das candidaturas ao próximo ciclo de programação de fundos comunitários, denominado Portugal 2020, está a condicionar as decisões de investimento de algumas empresas da região. Ao certo, ainda não se sabe quando é que os fundos do novo quadro, cuja grande parte será canalizada para as pequenas e médias empresas (PME), começarão a chegar ao nosso país.

O presidente da AENEBEIRA – Associação Empresarial do Nordeste da Beira considera que «este impasse que existe entre o final do QREN 2007-2013 e a entrada do novo quadro comunitário de apoio é claramente um período muito complicado para o tecido económico porque neste momento não há um único sistema de incentivo de apoio ao investimento». António Oliveira indica que a Associação tem empresários associados que «queriam investir e que continuamente nos colocam questões sobre a existência de sistemas de apoio ao investimento e neste momento, nesta transição, entre os dois quadros comunitários não há nenhum». O dirigente advoga que «com a situação económica que o país atravessa seria importante apoiar os empresários que, apesar das condições adversas, querem fazer alguns investimentos», ainda para mais «numa altura em que o recurso a capitais alheios e ao financiamento bancário é extremamente difícil», o que torna «ainda mais difícil a concretização desses investimentos que alguns empresários tinham na sua mente executar».

António Oliveira reitera que a AENEBEIRA tem «alguns associados que tinham manifestado essa intenção de terem alguns projetos de investimento para executar e que nos consultam para saber da existência ou não de sistemas de incentivos e nós, infelizmente, temos que lhe dar a informação que neste momento não há qualquer sistema de apoio ao investimento em vigor por estarmos numa fase de transição». O responsável considera que esta situação é «muito negativa, ainda mais porque o país e a economia precisavam que as taxas de investimento e o investimento crescessem com o intuito de se aumentar a criação de riqueza e de postos de trabalho». O dirigente não dispõe neste momento de informação ou previsão de quando é que as verbas do novo quadro comunitário poderão começar a chegar: «Infelizmente não tenho. Toda a gente diz que ao longo do segundo semestre de 2014 até princípio de 2015 estará em vigor o novo quadro comunitário, mas em termos práticos não temos conhecimento de nada. Agora que é muito importante para a economia da região e nacional poder-se apoiar os potenciais investidores que existem neste momento não tenho a menor dúvida».

O presidente da AENEBEIRA salienta que o funcionamento da instituição «não está neste momento a ser afetado pela inexistência de sistemas de apoio ao investimento mas naturalmente que a Associação, como muitas outras instituições, está também a necessitar de uma definição rápida e clara da gestão e execução dos fundos comunitários na próxima agenda 14-20».

«Quanto mais depressa» houver definições «mais depressa teremos a economia a funcionar»

Por seu turno, o presidente do Conselho Empresarial das Beiras e Serra da Estrela (CEBSE) frisa que «quanto mais tarde se abordar a questão dos regulamentos mais tarde se começam a executar projetos e algumas empresas estão a adiar investimentos em função do que poderá ser o próximo quadro comunitário», daí que este impasse se sinta na «dinâmica que algumas empresas precisam e sente-se nomeadamente no efeito de arrasto em toda a economia porque se houver investimento também há vendas e há outro efeito na própria economia». Deste modo, Rogério Hilário defende que «quanto mais depressa» houver definições, «mais depressa haverá candidaturas, mais depressa haverá aprovação de projetos e mais depressa teremos a economia a funcionar». Ainda assim, o também presidente da Associação Comercial e Industrial do Concelho do Fundão (ACIF) esclarece que o impasse não o surpreende «porque quando há o fim de um programa e o início de outro» há «sempre um conjunto de meses em que não há fluxo». O dirigente salienta ainda que «relativamente ao QREN foram prolongadas grande parte das medidas, ainda há dotação financeira e a sua execução pode ser feita até 31 de dezembro de 2015, o que significa que há candidaturas que se podem arrastar». Ainda assim, Rogério Hilário não esconde que «estamos ansiosos por saber qual é o enquadramento e o regulamento relativamente ao próximo quadro para também começarmos a trabalhar com o mesmo», mostrando-se esperançado de que o segundo semestre «vai ser um levante para começarmos a utilizar os fundos do novo quadro 20-20».

Quanto ao presidente do NERGA – Associação Empresarial da Região da Guarda, realça que na transição entre dois quadros comunitários há «sempre um impasse que este ano até se prevê que seja muito menor do que sucedeu no início do QREN que nessa altura criou problemas graves». O empresário sustenta que «se se confirmar que o 2020 entra no final deste ano, princípio de 2015, os efeitos colaterais disso não serão demasiado graves pela razão da não total execução do QREN», uma vez que «ainda há programas abertos e financiamentos do antigo QREN que ainda estão disponíveis, quer para as associações, quer para as Câmaras, quer para diversos apoios».

Impasse provoca «atraso» no investimento

Da parte da Associação do Comércio e Serviços do Distrito da Guarda, o seu presidente sublinha que «há aqui um ano em que o acesso às candidaturas e o acesso ao financiamento e à realização e implementação de projetos fica “suspenso”. O que temos recebido a nível da ACG é o pedido de informação sobre alguns avisos de aberturas e se existem ou não disponíveis alguns instrumentos de apoio dentro do âmbito dos fundos comunitários para algum tipo de financiamento».

Neste sentido, Miguel Alves adianta que a ACG tem vindo a criar uma pequena base de dados de associados que estão a fazer «manifestações de interesses» de investimento e «assim que os fundos e os avisos de abertura do novo quadro estiverem disponíveis nós iremos avisar os associados». O dirigente explica que «o que nós estamos a dizer aos associados é que neste momento não temos garantia que eles possam enquadrar o investimento no próximo quadro comunitário e nesse sentido fica do lado do investidor a decisão se quer realizar o investimento de imediato sem o enquadramento num fundo comunitário ou se quer aguardar para ver onde poderá enquadrar». Assim, «a maioria dos investimentos neste momento está a aguardar a janela de oportunidade do próximo quadro comunitário», daí que «o investimento concreto e objetivo na Guarda está a ter um “delay” no tempo devido a isto». Miguel Alves indica que «desde setembro, data do último dia de abertura que não existem candidaturas nem existirão candidaturas segundo informação que a ACG tem ao dispor», sendo que se «perspetiva que o novo quadro 2020 esteja disponível a partir de setembro deste ano» e se assim for «faltarão quatro a cinco meses para o abrir das candidaturas». O dirigente constata que «desde fazer a candidatura à aprovação da mesma são 90 dias e depois para o início da mesma, porque é preciso assinar documentação e confirmar investimentos, são mais 45 dias» e, deste modo, «perspetiva-se que para o início de 2015 é que o novo quadro comunitário esteja disponível».

Empresas querem saber «as regras do jogo»

Paulo Conde quer juntar à Sociedade de Construções Santos & Conde um novo projeto na área da indústria metalomecânica mas está a aguardar pela definição das “regras” do novo quadro comunitário para poder avançar.

O empresário de Trancoso garante que o impasse motivado pelo final do QREN e a entrada do Portugal 2020 «está a condicionar» futuros investimentos «porque não sabemos em que moldes é que vai trabalhar e se o novo quadro comunitário nos vai ser favorável». «Não sabemos se os novos apoios vão ser dados a novas empresas ou às que já estão constituídas. Se soubéssemos já as “regras do jogo” era diferente porque saberíamos o que fazer. Agora, corremos o risco de investir e depois não beneficiar de eventuais apoios de que poderíamos beneficiar. Por outro lado, também poderemos estar a atrasar o investimento e depois não termos apoios», salienta Paulo Conde. No entanto, o empresário assegura que «o investimento é para se fazer» na zona de Trancoso e que poderão ser criados vários postos de trabalho num ramo em que «poderemos começar com 10 funcionários e poderemos chegar aos 100, pois tudo depende da procura do mercado».

Também a diretora financeira da Casa da Prisca – Salsicharia Trancosense reconhece que a indefinição na atribuição de apoios comunitários «condiciona bastante» novos investimentos, mas isso também «não quer dizer que não procuraremos outras alternativas porque parar é morrer». Anabela Pacheco indica que a empresa tem atualmente em curso dois projetos vocacionados «para a internacionalização e a procura de mais mercados externos», que, juntos somam 600 mil euros, daí que o apoio de 75 por cento garantido no âmbito do QREN tenha sido «muito importante» para «ajudar a empresa a crescer e a expandir-se em qualidade».

«Devem ser os bons projetos a justificar financiamento», ministro do Desenvolvimento Regional

Foram solicitados esclarecimentos ao Ministério da Economia sobre uma data previsível para a abertura de candidaturas no âmbito do novo quadro comunitário de apoio, mas não foi recebida qualquer resposta em tempo útil. O Jornal das Empresas contactou também Manuel Morais, coordenador do núcleo da Guarda do IAPMEI - Instituto de Apoio às Pequenas e Média Empresas e à Inovação sobre o mesmo assunto, mas o responsável remeteu esclarecimentos para o Gabinete de Comunicação e Imagem da instituição que, por sua vez, não respondeu à informação solicitada. Foi ainda contactado Sales Gomes, coordenador da Raia Histórica, para procurar saber se há alguma previsão de quando é que vão abrir as candidaturas ao PRODER, mas o responsável declinou responder por não possuir a informação.

No final do passado mês de janeiro, o Ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Poiares Maduro, entregou formalmente, em Bruxelas, ao comissário europeu para a Política Regional, Johannes Hahn, o Acordo de Parceria para a Programação de Fundos Comunitários (Portugal 2020), que serão da ordem dos 22.164 mil milhões de euros para sete anos. O ministro referiu que, no programa Portugal 2020, os fundos serão utilizados «com um mecanismo diferente»: «Não iremos financiar projetos, mas contratualizar resultados», pelo que «devem ser os bons projetos a justificar financiamento». «O próximo ciclo de fundo comunitários é fundamental para o país, desde logo para resolver o nosso grande défice de competitividade». Grande parte dos fundos serão canalizados para as pequenas e médias empresas (PME) e devem privilegiar a competitividade e internacionalização da economia, «através de sistemas de incentivos e do financiamento através da nova instituição financeira de desenvolvimento, que está a ser criada e é fundamental para corrigir as dificuldades de financiamento das PME» acrescentou Poiares Maduro.

//CLIPPING FEVEREIRO

Jornal: O Interior

Data: 27-02-2014

Assunto: Lotes da PLIE a preços reduzidos para atrair investimento

Secção: Em Foco

Observações: http://www.ointerior.pt/noticia.asp?idEdicao=747&id=42870&idSeccao=10259&Action=noticia

Câmara da Guarda vai vender o metro quadrado a 3,90 euros e sair da sociedade gestora da plataforma logística 

Lotes da PLIE a preços reduzidos para atrair investimento

Para atrair investidores, a autarquia da Guarda quer vender os 110 lotes ainda disponíveis na Plataforma Logística de Iniciativa Empresarial (PLIE) a 3,90 euros o metro quadrado. É quase três vezes inferior ao preço cobrado a quem já ali labora no ramo industrial e perto de seis vezes menos no caso dos serviços instalados na Quinta dos Coviais.

Esta «redução significativa» foi anunciada por Álvaro Amaro num encontro com cerca de 150 empresários do concelho, na passada quinta-feira. Nesta reunião ficou também a saber-se que o município tenciona vender a sua participação na sociedade gestora da PLIE, que será dissolvida. «Vamos pensar num novo modelo de gestão porque este não funciona», disse o presidente da Câmara aos jornalistas no final da sessão realizada nos Paços do Concelho. O autarca apelou igualmente aos investidores que adquiriram lotes naquela área empresarial para que concretizem os seus projetos. «Quisemos estimulá-los a investir, não nos próximos meses, mas também nos próximos anos, caso contrário poderão ser acionadas as cláusulas de reversão dos terrenos», garantiu o edil, para quem o objetivo destas medidas é «ter investimento, criar riqueza e gerar emprego». Até agora, o metro quadrado para indústria custa 15 euros e 25 euros para os serviços. «Os 3,90 euros foi quanto custaram as infraestruturas à autarquia sem a variante e sem o financiamento comunitário», justificou Álvaro Amaro.

«Se mantivermos os preços praticados até aqui não atraímos ninguém nem somos concorrenciais», acrescentou. Já quem está instalado não terá direito à devolução da diferença do valor, embora o presidente tenha admitido estudar «compensações consoante o volume do investimento e a criação de postos de trabalho». Atualmente, há 20 empresas instaladas na PLIE e cerca de uma dezena de projetos de intenções – entre os quais a transportadora Broliveira, que adquiriu 18 lotes. Os empresários ficaram também a conhecer a intenção do município em criar um parque TIR naquela área empresarial com capacidade para 120 camiões, num investimento estimado de 100 mil, e que deverá ficar pronto até ao final do ano. Quanto à sociedade gestora, Álvaro Amaro deixou claro que a Câmara quer sair de cena «e o mais depressa possível». A decisão de dissolver a PLIE SA já tinha sido tomada em abril do ano passado pelo executivo de Joaquim Valente, o que aconteceu cinco anos depois da sociedade não conseguir realizar o aumento de capital de 50 mil euros para 1,5 milhões de euros.

Na prática a medida não tem grandes consequências, uma vez que a sociedade está em estado vegetativo há vários anos e que a gestão da PLIE tem sido assumida pela autarquia. Passados mais de dez anos sobre o lançamento do projeto, a autarquia continua a ser o maior acionista da PLIE, com 63 por cento do capital social. O Conselho de Administração é constituído pela Câmara, que preside, pela construtora MRG [Manuel Rodrigues Gouveia], Sociedade Geral (ex-IPE – Investimentos e Participações do Estado), Joalto e Gonçalves & Gonçalves, que fechou portas no ano passado. A PLIE tem 11 acionistas fundadores: Câmara Municipal, NERGA, Associação de Comércio e Serviços do Distrito da Guarda (ACG), Ecosoros, Gonçalves & Gonçalves, Sociedade Geral (ex-IPE), grupo Joalto, grupo Luís Simões, Mota Engil, Manuel Rodrigues Gouveia e a Servihomem. Em números, o empreendimento ocupa um total de 126 hectares, disponibilizando 196 lotes. O projeto integra a Rede Nacional de Plataformas Logísticas e tinha um investimento inicial previsto da ordem dos 34 milhões de euros.

//CLIPPING JANEIRO

Jornal: O Interior

Data: 16-01-2014

Assunto: Rogério Hilário preside a mega associação empresarial

Secção: Região

Observações: http://www.ointerior.pt/noticia.asp?idEdicao=741&id=42392&idSeccao=10154&Action=noticia

O Conselho Empresarial das Beiras e Serra da Estrela quer contribuir para a definição das estratégias de desenvolvimento de uma região com 236 mil habitantes 

Rogério Hilário preside a mega associação empresarial

Primeiro presidente do CEBSE dirige a Associação Comercial e Industrial do Concelho do Fundão

Rogério Hilário é o primeiro presidente da mega associação empresarial criada recentemente na região. O dirigente da Associação Comercial e Industrial do Concelho do Fundão (ACIF) foi eleito no passado dia 7, numa Assembleia Geral realizada na Guarda. José Assunção (AAPIM – Associação de Agricultores para a Produção Integrada de Frutos de Montanha) e João Amaral (AASE – Associação de Artesãos da Serra da Estrela) são os vice-presidentes.

O Conselho Empresarial das Beiras e Serra da Estrela (CEBSE) representa um novo nível de agregação associativo, coincidente com o território da nova NUT III e Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, que abrange 15 municípios dos distritos de Guarda e de Castelo Branco. Além da ACIF, AAPIM e AASE, esta entidade é constituída pelo NERGA (Associação Empresarial da Região da Guarda), AENEBEIRA (Associação Empresarial do Nordeste da Beira), AECBP (Associação Empresarial da Covilhã, Belmonte e Penamacor) e ACG (Associação Comercial e Serviços do Distrito da Guarda). A sede do CEBSE ficará na associação que presidir à direção, um mandato rotativo e de três anos. Para Rogério Hilário, os principais desafios vão ser colocar os empresários da região «a falar a uma só voz» e dar maior notoriedade ao território e seus agentes».

Em novembro passado, durante a apresentação do Conselho Empresarial, Rogério Hilário tinha afirmado que esta associação quer ser «um lóbi de pressão e ter uma palavra muito consistente sobre o futuro deste território e a aplicação dos próximos fundos comunitários». O objetivo dar o seu contributo na definição das estratégias de desenvolvimento de uma região com 236 mil habitantes e alguns milhares de empresários. Na altura, o responsável sublinhou que «os empresários já estão unidos e sabem o que querem, é tempo dos políticos fazerem o mesmo e acabarem de vez com as divisões que tanto têm prejudicado o desenvolvimento da região». O CEBSE vai organizar grande fórum regional na Guarda, em data a anunciar.


 
ACG - Associação do Comércio e Serviços do Distrito da Guarda © 2012 Todos os direitos reservados | desenvolvido por J.Canão